//
Acrescente
Artes

Santiago Alvarez – Docs Cubanos anos 1960

Santiago Álvarez foi um dos mais importantes personagens do governo revolucionário cubano. A ele foi delegada a função e documentar as realizações do estado socialista. Segundo Marcos Pimentel, documentarista e professor de cinema em Cuba, Álvarez produziu cerca de 2000 cinejornais, porém com o tempo, percebeu que era possível ir além do informe institucional da ilha.

Desta forma, produziu vários documentários que passaram nos cinema de Cuba e foram premiados em festivais como o de Leipzig (Alemanha). Dadas as dificuldades tecnológicas, Álvarez demonstra um apuro artístico impressionante na montagem e nas artimanhas que desenvolve com a película e outros aparatos. Utiliza principalmente da fotografia de revistas, imagens – provavelmente sem a permissão lega dos autores e de músicas muito bem escolhidas e executadas.

Durante a oficina de “Documentários Latino Americanos”, ministrada por Marcos Pimentel, no Primeiro Plano 2011, pudemos conhecer dois de seus principais trabalhos: Now (1965) e LBJ (1968). Em ambos um inimigo comum, os Estados Unidos, o homem branco e sanguinário americano. Em seus recortes, ritmo e montagem, Álvarez denuncia em Now as atrocidades cometidas por policiais e civis contra negros, sejam homens, mulheres, crianças ou velhos e tudo isso ao som de Nina Simone, em uma canção de protesto pedindo pelo fim das desigualdades raciais na América. Alguns críticos chegam a dizer que Now seria o primeiro KinoClipe da história.

Em LBJ (abreviatura do nome do presidente americano Lyndon Baines Johnson), o documentarista, através de recortes de fotos e com a intromissão do discurso de Martin Luther King JR, fala sobre os três grandes assassinatos em solo americano nos anos 1960: do presidente John Kennedy, do líder negro e de Bob Kennedy, senador e virtual candidato à presidência americana. Em sua visão antiamericanista, Álvarez aponta Lyndon Johnson como um possível responsável por estas mortes, direta ou indiretamente.

Um clássico de Santiago Álvarez – Hasta la victoria siempre (1967), uma homenagem à Che Guevara, morto em 1967, na Bolívia.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Leia!

Tryoka Koletiva

Obvious

Sons & Vibrações

Blog de Fotografia

BLOG

%d blogueiros gostam disto: